domingo, 17 de Outubro de 2010

Era uma vez...



" -Mas afinal como é que soubeste?

-Foi com um beijo roubado no meio de mil pessoas, ninguém viu, só eu. Depois um beijo aqui, outro ali. Sempre suave, meigo, cuidadoso. Mais um beijo, mais intimo, mais intenso. O alcool fez efeito, enebriou-lhes os sentidos, toldou-lhes os pensamentos. Mais um beijo, mas um beijo quente, tão profundo, tão dele. Sem vergonhas, sem medos. Mais um beijo, debaixo das estrelas, ao sabor do vento. Mais um beijo, como se fosse o último, como se não houvesse amanhã. Mais um beijo, acompanhado por um abraço. Mais um beijo e as mãos dele à volta da cintura dela, o corpo dela no seu abraço. Mais um beijo, mais chegado, mais apertado, os seus braços puxando o corpo dela, os dela em busca dele. Mais um beijo e os dois corpos unidos como se fossem um só, sem vergonhas e com vontade. Mais um beijo, o extase. Mais um beijo cheio de força e sentimento. Mais um beijo."

-E depois?
- Depois ouvi-a dizer "dá-me mais um beijo, só para ter a certeza que é real", e ele deu."



P.

Sem comentários:

Enviar um comentário